terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Espelhos



Espelhos
Acordo em uma sala totalmente escura, não enxergo um palmo a minha frente. Estou assustado, não sie o que aconteceu, onde estou, a única certeza que estou coberto. Me levanto e ao fazer isso uma luz se acende a minha frente. Algo fixo na parede coberto, com uma especie de pano escuro,me aproximo aos poucos, um passo de cada vez, com medo de que  poderei encontrar por trás daquele pano.
Chego a frente do objeto.e puxo o pano, me assusto com o que vejo, um espelho e vejo uma criança me olhando, quando a criança diz:
- Olá.
Passo minhã mão por todo o espelho, achando que isto é um truque,mas em vão. Então respondo:
- Olá, Quem és você ?
A criança dispara a falar:
- Por quê você me abandonou? Por quê m trancafiou ? Por quê não quis mais conversar comigo? Estive o tempo todo ao seu lado, gritando, tentando sair desta prisão que você me colocou, vi muitas lágrimas suas, te vi ser derrotado, te vi deixar de acreditar, e eu estava gritando contigo o tempo todo. Por quê você não me ouviu? Por eu ser uma criança sei menos que você? Onde estão seus sonhos? Eu tentei te avisar, tentei te socorrer, tentei te ajudar a ser divertido e você me deixou preso. Não importa o tempo que passe eu sempre estarei aqui, e espero algum dia que possa me resgatar.
Fico chocado com tudo aquilo, que acabei de ouvir. Olho aquela criança está com lágrimas em seus olhos,e abaixa a cabeça,verifico mais uma vez o espelho e não tem passagens, nada para tentar tirar aquela criança dali.
Ouço um estalo e me viro, a minha frente da mesma forma, está um pano e algo na parede, olho para trás e a luz se apagou,e não vejo mais aquela criança. O pano cai sozinho,e avisto uma bela mulher dentro do espelho, muito bem vestida, uma femme fatale, ela diz:
- Hey garotão, venha até mim. - e dispara soltar um olhar e um sorriso malicioso para mim.
Caminho até ela e paro em sua frente, tenho certeza que terá o mesmo truque da criança, então não quero checar a volta do espelho. Ela começa a falar com uma vez bela,e firme para mim:
- Olá garotão, lembra de mim? Aposto que não né? Para me manter aqui neste lugar deprimente, sem vida, com certeza não lembra de mim, Apenas ri de todas as vezes, em que tentei lhe avisar com sinais, sobre suas tentativas de um relacionamento, sou aquela que tentou te alertar quando algo daria errado, Por quê deixou de lado sua intuição? Por quê deixou de lado, as garotas que te deram carinho ? Por quê não conversou mais? Por quê não se esforçou mais? E agora estarei sempre presa, aqui, até quando vai deixar de ouvir aquela criança, até quando vai deixar de me ouvir? - a garota está chorando com sua maquiagem toda borrada e se afasta de onde a vejo.
Aquelas palavras sinto algo dentro de mim, dói. Não sei o que está acontecendo, grito ... em vão. Me sento e começo chorar, aquelas palavras são como explosões dentro de mim, machuca. Enxugo as lágrimas vejo um espelho no lado sul, deste ambiente. Avisto mais um espelho e vejo um velho dentro deste. Me aproximo e o velho sorri, e começa a falar em uma voz terna e calma.
- Garoto, me veja, estou velho, eu não estou preso assim como os outros, na verdade sou o que mais te acompanhou nesta vida, o vejo reclamar de todos os momentos de sua vida, nunca agradecer. Sim agora você está entendendo onde você está, Todos sempre acompanhamos você,desde seu primeiro dia de vida,mas só cabe a você escolher qual de nós vai ouvir. Meu jovem posso ser o mais velho e reclamão,mas uma coisa lhe digo, tenho sabedoria e inteligência o suficiente para lhe dizer. Nunca é tarde, aprenda, escute um pouco de cada, lute por si, lute por quem você ama. Se perca, como é o dia de hoje, e nunca tenha vergonha de voltar e conversar conosco, somos você e você é nós. Não posso te dar as respostas, mas podemos tentar lhe ajudar a encontra-las.
Quando ele termina de falar ,me em uma sala branca com quatro espelhos,e consigo ver a criança a minha esquerda, a minha direita a mulher e ambos com um sorriso no rosto,olho para trás e o velho me faz um gesto para seguir em frente sorrindo.
Sigo até o último espelho, e me vejo, abro um sorriso, e escuto em uma única voz:
- Quem és realmente ?


domingo, 29 de dezembro de 2013

Fase Céu - Capitulo 1 - O encontro.



Seguro com toda a força minha espada, essa lágrimas nunca acabam, desfiro o golpe, em um corte vertical, e ele defende, levantando a espada. O som das espadas se chocando, me fazem me voltar a aquele lugar, ao incio disto tudo.
Me vejo vejo sentado naquele MALDITO café, que a muito tempo não ia,mas sempre foi meu favorito.
Era um dia de verão, sento-me em meu lugar de sempre, ao canto, me proporcionando visão periférica do ambiente.
Pego o cardápio, e hoje sinto a necessidade de pedir algo diferente. Ouço uma voz a minha frente:
- Olá, boa tarde o que senhor deseja?
Abaixo o cardápio,e levanto meu olhar,e me deparo com aquele sorriso,não é um sorriso comum,é um sorriso largo,limpo, quase angelical,e por um momento fico desnorteado, e logo peço:
- Um cappuccino com caramelo.
Ela anota meu pedido,e se retira,mas o que nela está me fazendo suar as mãos,me sinto apavorado. pela simples presença dela.O que acontece, é a primeira vez que a vejo,e por quê me sinto tão intimidado?
Meu Cappuccino chega, e sim é ela que me entrega, sorrio para ela,e verifico o nome dela em seu crachá, com a escrita Yasmin.
Pego a xícara e aprecio o sabor do cappuccino aos  poucos, a mente divagando. O que é esse sentimento, essa necessidade,de querer conversar com ela, tudo isso por um sorriso ? Não é isso, sinto algo mais profundo, apenas sinto.
A observo de longe, atendendo os clientes, andando de um lado a outro, e sinto um sorriso bobo em meu rosto. Termino de beber,e aceno para ela, quanto mais ela se aproxima mais sinto minha mão suar, e lhe peço:
- A conta por favor. - e sorrio
Yasmin me responde, com um largo sorriso:
- Olha senhor, esse fica por minha conta, mas isto é um segredo entre nós tudo bem? O pessoal me disse que o senhor costuma vir frenquentemente, sou nova por aqui, e espero que conversemos mais viu?!
Me entrega um papel, e sai. Abro o papel amassado com os seguintes dizeres:
" Estou sendo anti profissional,mas espero realmente conversar contigo, ai está meu telefone." E com um pequena careta piscando.
Me levanto e saio calmamente do café,chego a porta, coloco meus óculos de sol,olho para o céu azul,e de um azul ao meu mais bonito de quando entrei, e escancaro um sorriso estupidamente bobo, e sigo em direção a minha casa.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Soldado de chumbo.


Madrugada chega, pairando no quarto da minha doce dona. O quarto iluminado pela luz do luar, e um pequeno abajur giratório, o quarto se torna mágico. Os pequenos brinquedos, aos poucos, vão se revelando, saindo de seus lugares. Na madrugada, todos festejam, se divertem, interagem. Enquanto, mais uma festa inicia, de minha instante olho ao horizonte, banhado pela bela lua cheia. Quando resolvo me virar, a certeza da inveja da lua, de tal beleza. A doce boneca desce de seu pedestal, e a vejo caminhar, em lentidão... Com essa beleza, banhado a luz do luar,e simplesmente indescritível..
Todos os dias,aguardo ansioso pela madrugada, apenas para vê-la.
Desvio o olhar,e reflito, o quanto gostaria de ao menos, uma vez ter a coragem de falar o que sinto ao vê-la. O nervosismo de falar o oi,o medo de ela me ignorar, a vontade de protege-la, a ansiedade de ouvir sua voz.  
Ela para e todos a cercam imediatamente, ao longe vejo o brilho dela exalando,seu singelo sorriso,sua cortesia, sua preocupação, com cada um desse quarto. Abraça um urso, estende a mão ao pequeno boneco, é beijada ao rosto pelo minerador, dança um passos de valsa com xerife, e para após o término da valsa. 
Desço a minha estante, hoje vou ter a coragem,e dizer o que sinto. Mas no enquanto,  observo ao longe. Ela começa a contar uma história de um corajoso cavaleiro, que vai em busca de sua princesa,e passa pelas mais diversas situações de perigo. No fim eles ficam juntos,e  não percebo que é quase o horário de amanhecer. 
Os brinquedos vão aos poucos voltando em suas devidas posições, volto a minha estante e mais um dia frustrado, por não ter coragem, de dizer tudo aquilo que sinto. E como gostaria de ser, não apenas um soldado de chumbo,e me tornar o príncipe, daquela doce boneca.
Permaneço em minha posição,e aguardo o amanhecer. 
...
...
A boneca olha ao longe o soldado,e subindo em pedestal,lança um último olhar ao soldado,pensando... " Gostaria de conhecer mais aquele soldado,e dizer que sempre o observei...".  A boneca volta em sua posição, enquanto os primeiro raios de sol, ilumina o quarto. 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Querida Fotografia.




E mais uma vez,me pego com a maldita fotografia. E aquele aperto ao peito me vem. Não é um dia especial para eu pega-la,mas um dia normal. Busco refugio nela, sem sucesso.Me pego em um turbilhão de pensamentos,quando me jogo na cama,levantando ela ao ar.
O que é este sentimento? Dor? Saudade? Felicidade? Talvez, apenas seja uma mistura deles. Sorrio , enquanto uma lágrima cai do meus rosto.
Mas sei na verdade o que é tudo isso, o reviver. Você nunca se pegou querendo reviver, várias vezes uma viagem? Ou talvez uma festa, ou quem sabe um amor. Não importa,esta fotografia, que é tão simples,e consegue fazer este turbilhão em mim.
Olho,por horas, desejando uma máquina no tempo, para reviver tudo aquilo novamente. A companhia de pessoas que já partiram, quero reviver os amores mal resolvidos, reviver o agora, reviver a vida em que muitas vezes, vejo como roubada, reviver o apenas estar de pessoas que hoje mal falam comigo.
É a máquina do tempo existe,e está em minhas mãos, penso em cada detalhe, cada sorriso, cada sentimento, vivido naquele instante.
É uma pena, muitas vezes cada pessoa seguir seu caminho... Mas é a vida... O sentimento deixado é inexplicável, apenas vivido.
Eu te odeio maldita foto,por me deixar dessa forma...
Me levanto e vou até a janela e permaneço ali,por algum tempo, envolvida em meus próprios pensamentos. Uma brisa bate levemente no meu rosto,e de certa forma me sinto tocada,protegida.
Volto olho para a fotografia,e o pensamento me vem: "Não importa garota, olhe para a foto, não é isso que você busca? Este momento já se foi, se sinta grata por ao menos o ter vivido. Quer os ter de volta ? Isso infelizmente, não ocorrerá. Qual a sua espera, para fazer novos momentos como este?".
Deixo a fotografia de lado, pego o telefone, disco , quando escuto do outro lado:
- Alô.
Obrigado querida fotografia,por salvar de mim mesma,e dessa imensa solidão.


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Dia Vazio




Acordo,como toda manhã,
Mas neste dia há algo de incomum.
Levanto com uma expectativa,
De sua agradável companhia irá me guiar durante este dia incomum.

Já está no horário de viver como um  verdadeiro adulto.
As horas lentamente passam e a ansiedade vai florescendo e crescendo.
Mando um pequeno sinal de afeto,
Recebo o sentimento,em que nos faz acreditar: Esperança.

Esperança em que irei estar contigo,
Esperança que nada mudou,
Esperança que não lhe causei nenhuma dor,
Esperança em que fiz meu melhor,
Esperança que não lhe fiz nada errado,
Esperança de que junto a ti,algum dia construiremos um futuro prospero a ambos.

Nesta tarde cinzenta e vazia,
Os truques de uma mente apaixonada,
O acelerar do batimento de um coração apaixonado,com a ilusão de que és tu em minha porta.
Apenas com uma única certeza dentro de mim.
O fantasma da perda,apenas me fazendo companhia,me assombrando.

Tento distrair a mente confusa,com pensamentos em um único sentimento : amor.
Distraio-a com imagens,sons e histórias ilusórias,para me fazer esquecer,ao menos nesse instante.
Droga!
Tento,inúmeras vezes,mas tentativas em vão...
Tudo me lembra você!

O mais árduo,é fingir para mundo que tudo está bem,
E que não sofro desta angustia,esta incerteza.
A única vontade é de deixar aflorar,os sentimentos que estão pulsando.neste exato momento.
A solidão apenas deixará esta mente ainda mais confusa,e o companheirismo do próximo iria acalmar este espirito inquieto.
Mas todos continuam a seguir seu caminho,cada um tirando uma lasca,do que já fui um dia.
Sofro na inquietude da solidão,e com apena uma convicção: Ainda TE AMO!

Dizem,tudo estar se passando rápido demais,
A certeza do meu coração é que tudo está acontecendo,conforme nossos próprios desejos.
Mas não culpo a vida,ou a companheiros.
Só as nós mesmos.
Principalmente a mim,por lhe amar desta forma.

Há um amor marcado,palavras circulando pelo mundo.
És belo,próximo a minha realidade,com o qual me identifico.
Serias como tu junto a mim.

Ontem eu te amei,hoje eu te amo,e amanhã,só poderei decidir junto a t!
Me prometo neste dia vazio,
Se não for junto a ti,viver o presente e seguir o futuro incerto.
Não serás com mais ninguém!

E vou seguindo esta vida,nestes dias vazios...

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

A Última Tormenta - Prólogo




É duro ... Não pensei que chegaria a esse ponto ...
Caminho pesadamente,contando cada passo,sabendo que é o fim dessa guerra.
Vestindo meu coturno de combate,uma calça  toda rasgada,camiseta preta cavada,com minha espada em minhas costas.
Esse calor infernal me prepara para o último combate... O mundo acabou,e o que restou apenas foi deserto sem fim,mas eu sei exatamente devo estar,e sei que eles estarão aguardando... 
Tento afastar quaisquer lembranças.Mas as cenas se repetem em minha mente como um rápido filme, uma em especial permanece  em minha mente...ELA... e está  de costas,com aquele vestido florido,eu sei que é ela... Aos poucos ela se vira e aqueles cabelos longos negros,e com um sorriso arrebatador...
Não...Saia de minha mente,e aquelas lágrimas vão ser as últimas derramadas - me prometo.
E continuo agora em um ritmo mais acelerado,desembainho minha espada e fecho meus punhos com toda força e começo a correr.
Chego a um ponto mais alto, quando vejo aquele que um dia foi o lugar mais importante para mim... meu lar... apenas restaram ruínas e essa infinidade de areia.
Ele está em pé e como sempre,bem vestido, trajando sua roupa de combate,uma calça escura,um coturno,um sobretudo claro, e realmente ele é alto,e isso me irrita,ele sempre foi assim ,querendo ser o superior em TUDO... Parece impaciente com sua espada enfincada no chão ao lado dele.
Quando a vejo sentada vestida com uma bota,um vestido de verão azul,e cabelos contra os ventos.
Algumas lágrimas caem,corro em direção a ele, empunhando a minha espada em posição de combate a eles ,me livrando de qualquer pensamento,apenas com um único foco ACABAR com isso de uma vez por todas...

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Planeta de Gelo.




Havia uma garota,em que um dia em seu mundo se agarrou em um uma cauda de um cometa,e resolveu visitar mundos a fora.
Em um determinado dia,ela viu um pequeno planeta completamente coberto por uma cor pura de um branco nunca visto,e resolveu ali pular,para o conhecer o pequeno planeta.
Caindo em seu solo,não sentiu dor,caiu em um solo fofo e do mesmo branco que havia visto,"neve posso me divertir muito por aqui"- pensou a pequena.
Começou a caminhar com suas pequenas botas roxas inseparáveis,com o intuito de explorar e buscar respostas nesse plante tão lindo.
Enquanto caminhava viu uma pequena pedra,com um garoto sentado de costas,ruivo,com seus shorts e suspensório,e trajando uma camiseta branca,se aproximando,havia numa tristeza,que ela nunca havia visto em qualquer rosto encontrado.
Resolveu sentar-se em frente de onde o garoto estava,e logo começou:
-Por quê estás tão tristes,algo em que queira partilhar?
Alguns instantes de silêncio se passaram,quando,percebe que uma pequena lágrima de cristal,cai do rosto do garoto,e ele responde:
-Este planeta era o mais alegre de todos os planetas já existentes,ele pode ser pequeno,mas é o meu planeta.As festas duravam dias,com os maiores e mais variados banquetes eram partilhados,sorrisos eram lei nesse lugar,as pessoas eram companheiras umas a outras,mas as pessoas não estavam mais felizes,queriam mais e mais,nada as faziam felizes o suficiente,queriam presentes,pressionavam umas as outras para conseguir mais,e aos poucos cada pessoa foi deixando na cauda de um cometa,ou na carona de uma estrela,até que sobramos dois de nós...
Se apoiando em em seus joelhos,começou a cair vários pequenos cristais.A pequena não suportando aquilo se levantou e o abraçou,e então após o recesso de cristais, continuou:
- Ela se foi,e aos poucos o planeta foi,pintando desse branco,e essa neve. Onde havia lindos campos floridos,hoje apenas neve,lágrimas não existiam,foi descobrir elas,após ficar sozinho nesse mundo.
Ela indignada com a situação,e inconformada com tudo isso,começou em um tom fora de sua voz musical de costume:
- Como as pessoas podem querer mais e mais,e nunca se contentar com nada? Mas outros não vieram para este planeta? Outros não tentaram viver,ou conhecer este lugar ?
Se levantando,apenas ficando de costas a ela,respondeu:
- Muitos vieram sim,permaneceram,mas logo se cansaram da minha companhia e se foram,aprendi a não ser tão amável,quanto eu já fui um dia,aprendi assim como toda chegada,sempre haverá uma partida. E aqui na terra dos sonhos partidas,que não existiam,hoje são apenas mais uma normalidade.Assim como os outros,sei que você irá,na próxima chance que tiver,então nem amigos podemos ser.
Vendo  caminhar ela grita:
-Espere!
Ela se levanta e o acompanha em sua caminhada.E prossegue:
- Eu viajei por muitos lugares,conheci muitos planetas,um mais curioso que o outro,alguns com campos,outros infestados de muita tristeza,ouros acreditando seres os reis do universo,e esse é o planeta que senti ser meu lugar. Um "rei" em que não queria dar festas para se esbanjar,mas apenas para alegrar em seus moradores,um "rei" em que única coisa que tinha medo,era a infelicidade de seus moradores,em que acredita em que qualquer ser do universo acredita na felicidade eterna,mas para isso é necessário não impor isso,mas sim apenas fazer o melhor possível de si mesmo,nunca vai ser possível o universo inteiro acreditar em seus ideais,mas você pode expor todos seus ideais ao universo,e aqueles em que partilharem as mesmas idéias sempre estará nessa caminhada contigo. Já que você é o rei desse planeta,foi ser a rainha,não quero ficar viajando por ai conhecer mundos,e não ter um lugar no qual eu chame de lar,e a propósito você vai precisar de alguém em que lhe ajude a fazer o pequeno planeta de gelo,se tornar na grande terra dos sonhos.
Ele para com olhos em lágrimas,e ela percebe que nunca havia visto olhos tão azuis em sua vida. E com lágrimas em seus olhos responde:
- Mas assim como os outros que me prometeram a mesma coisa,você irá partir um dia,e esse dia ficarei solitário novamente. E o que farei ?
Ela pega em sua mão olha em seus olhos e apenas diz,com sua voz musical:
- Como você disse com toda chegada algum dia haverá uma partida,posso partir a qualquer momento,no amanhã por vontade própria,por alguma questão maior,ou até mesmo pelo sombrio e triste toque da morte,mas até o dia da minha partida,estarei do seu lado,como te disse lutaremos para transformar essa terra de gelo,em uma grande terra dos sonhos,muitas vão apenas ficar de passagem,mas enquanto um ser nesse universo acreditar nela,ela nunca deixará de ser grandiosa,assim como você,e hoje eu acredito nela.E estamos fazendo o que parados vamos começar a trabalhar e descobri um jeito de mudar todo esse quadro.
Ele com lágrimas em seu rosto,se vê com as mãos juntas a dela,e começam a caminha,ao horizonte do pequeno planeta de gelo. Mas sem perceber, alguns metros atrás deles,uma flor nasce com toda sua beleza,como se despertasse de um longo sono,uma flor da cor de todas as cores.

Translate

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Geek,Dancer,Caricato,Extrovertido,Gamer.
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar este blog